Skip to main content

O estresse e a ansiedade sobre os estudantes

Alguns níveis de ansiedade podem ser bons para nós, pois nos encoraja a mudar e a crescer. No entanto, quando passam a fazer parte do nosso cotidiano de maneira que nos consome, podem se tornar um fardo e até mesmo um risco para nossa saúde.

Para muitos estudantes conciliar escola, família, amigos e trabalho enquanto tentam descobrir o resto de suas vidas, pode ser estressante, e toda essa carga pode facilmente transformar-se em uma ansiedade generalizada. A maioria pode até dar conta do recado, mas alguns não conseguem e não há nada de errado nisso.

Transtornos devido à ansiedade são problemas de saúde mental mais comuns entre alunos.

Estatísticas

  • 50% dos problemas causados por estresse e ansiedade começam a ser desenvolvidos entre os 14 anos.
  • 75% de todos os casos de doenças mentais ao longo da vida começam a ser desenvolvidos aos 24 anos.
  • A segunda principal causa de morte de jovens entre os 10 e 24 anos é o suicídio.
  • 50% dos estudantes do ensino médio abandonam os estudos.
  • 70% dos jovens universitários possuem alguma doença mental (ansiedade, depressão)

Mídias Sociais

Especialistas apontam uma série de razões pelas quais a ansiedade floresceu entre os estudantes de hoje e um deles é a “ansiedade sobre a mídia social”.

Alunos enfrentam uma pressão esmagadora para terem sucesso – e seus pais nem sempre percebem o problema. O mundo através das telas de celulares parece ser perfeito pra quem olha, dessa forma os jovens acreditam que para ser “alguém na vida” precisam se igualar aos influenciadores digitais. Eles não querem desapontar e não aprenderam a se frustrar.

Quando olham a rede social de outras pessoas, sentem-se inúteis e sem alegria. E nunca ninguém se questiona sobre “O que faz/fez com que tantos adolescentes, em tão pouco tempo, começassem a se sentir deprimido a ponto de querer tirar a própria vida?”.

Competição

O Brasil é o segundo país mais estressado do mundo. Aqui a ansiedade e os estudos andam lado a lado. Temos que escolher uma profissão tão cedo, mesmo que não tenhamos certeza de nossa escolha. Precisamos competir por vagas universitárias públicas federais, estaduais e até mesmo particulares através de provas e exames seletivos. Temos que ser bons o tempo todo.

A competição entre os alunos é acirrada, o que torna os jovens cada vez mais ansiosos e depressivos. Aos 24 anos já precisamos estar resolvidos financeiramente. Temos tempo pra tudo, menos para ser feliz. Infelizmente, temos que carregar o mundo nas nossas costas, e muitas vezes nem é o nosso mundo, é o mundo de outra pessoa.

Após a escolha precoce da profissão ainda é necessário se preocupar em ser bem sucedido. Você precisa ser o melhor no que faz, independente de qual seja o preço a ser pago.

Conclusão?

Temos a maior parte dos nossos jovens em situações desanimadoras e desmotivadoras, fazendo o que não amam, apenas por pressão da sociedade ou dos próprios familiares. Uma geração que será altamente estressada e infeliz porque não aprendeu que cada um está vivendo o seu tempo, à sua maneira.

Quando sentir-se ansioso devido aos estudos, dê uma pausa. Não se cobre tanto. Faça o melhor que puder, se puder. Não meça a sua vida com a régua alheia. Cada pessoa tem seus propósitos e seu tempo para alcançá-los. Seja você mesmo!

Experimente estudar as matérias que você mais gosta, lembrando que não há nada de errado em ir mal ou ter dificuldade em algumas áreas. Ninguém é perfeito em tudo e você também não será.

Entenda de uma vez por todas que você não precisa ser bem sucedido no tempo dos outros e talvez o que seja sucesso pra você, não seja sucesso para outra pessoa. Pare de se comparar e verá as coisas caminhando melhor.

Como diz o ditado clichê: A vida é simples, nós que complicamos.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *